O filme O destino de uma nação foi dirigido por Joe Wright, e teve como protagonista o ator Gary Oldman, ganhador do Globo de Ouro, o qual baseou sua  brilhante interpretação no mês de maio de 1940, quando o Primeiro Ministro  escreveu três dos maiores discursos de sua carreira. Diante do avanço nazista sobre a Europa continental que encurralou as tropas francesas e britânicas em Dunquerque, Churchil lidou com a pressão interna no Parlamento e com um Hitler que avançava cada vez mais em direção à Ilha.

McCarten, roteirista do filme,  descreveu um Churrchill mais humano, uma faceta até então desconhecida. Sua pesquisa baseou-se nos documentos dos Arquivos Nacionais e em  transcrições das conversas até então não muito conhecidas. 


Tudo que escrevi foi baseado em muita pesquisa sobre o tipo de coisa que aquele personagem faria.” disse ele, em entrevista a uma revista, recentemente.

Agora o ator Gary Oldman recebeu uma indicação ao Oscar, e muita gente acredita que ele deverá levar a estatueta devido a sua ótima interpretação.

A historiografia da guerra conta que Winston Churchill, em plena Segunda Guerra Mundial, assume o cargo de primeiro-ministro britânico, em maio de 1940, diante de forte protesto dos seus opositores políticos e desconfiança do Rei George V. Sim, Churchill passava longe de ser uma unanimidade. Alem disto, as tropas nazistas  avançavam sobre a França, a Bélgica e a Holanda e ameaçavam invadir o Reino Unido o que fez com que muitos acreditassem na possibildiade de um acordo de paz com a Alemanha, fato que, Churchill rechaçava categoricamente.

Spoilers à parte.

Sem dar spoplieres nos focaremos nos aspectos de liderança, que o filme relata e que Churrchill poderiam nos ensinar alguns aspectos da liderança. Se você não viu o filme, fique tranquilo, não iremos contá-lo, apenas pinçar os seus melhores exemplos de liderança, sem comprometer a sua diversão caso queira assisti-lo, o que seria extremante proveitoso, pois, alem do brilhantismo do ator principal, toda a produção dirigida por Joe Wright é impecável.

Embora alguns historiadores façam ressalvas ao filme. Cabe lembrar que,
embora o filme esteja baseado em documentos hitoricos, não se trata de um filme de história cujo rigor com dados e fatos é primordial, nem um relato de vida, que busca fugir de uma visão romantica. O filme é apenas entretenimento, mas como toda obra de arte, pode nos fazer pensar e refletirmos sobre o mundo em que vivemos. Por isto, fica esta minha dica de como podemos aprender alguns exemplos de liderança, baseado na interpretação artistica dos fatos.

Vamos às lições de Churchill:

O Winston Churchill de Joe Wright é complexo e falho, ou seja humano, para complicar ainda mais, ele assume o cargo quase que por acidente e tem de cara, um grande dilema: decidir se aceita um acordo de paz com Hitler, proposto pelo seu próprio gabinete de guerra, ou se dá continuidade à ressistência em uma guerra que, para muitos, já era perdida. Diante disto ele teve cinco iniciativas que mudaram os rumos da guerra. Pensando nisto, proponho que todo lider, assim como ele fez, tenha as determinadas atitudes:

1. Use o poder das palavras.

Diante de um problema que não era nada fácil de resolver; com as tropas nazistas avançando cada vez mais, ele usou o poder das palavras para motivar a nação diante de uma guerra já quase perdida. A palavra é de fato algo poderoso, capaz de agir no subconsciente humano despertando paixões e arrastando multidões na direção de um objetivo maior.

Cena representando Churchill após discursar no Parlamento

Churchil usou o rádio para dizer ao povo Britânico que a Inglaterra se saia bem no combate e que as tropas estavam motivadas quando na verdade, as elas estavam batendo em retirada. Ao final do seu discurso. As pessoas que estavam presente na sala perguntaram porque ele havia dito que a guerra ia bem quando na verdade ela estava indo de mal a pior, então ele respondeu:

“Engolir as más palavras que não se dizem, nunca fez mal a ninguém.”

(Churchill)

2. Não despreze os que são contrários a você.

Na hora do “vamos ver” Churchill institui um Gabinete de Guerra com os melhores homens que poderia dispor no Parlamento, e isto incluia opositores contrários a ele. Alguns diziam que era uma estratégia para ter os inimigos por perto, mas na verdade, ele sabia que ouvir posições contrárias faz parte das decisões acertadas na vida, incluisive na política.

Você não pode vencer se não souber conviver com a diferença, nem diaologar com as posições contrárias. Somente lideres inseguros não gostam de oposições. Um líder deve ouvir opiniões contrárias, confrontá-las, testá-las e se possível vencê-las. Isto dá autoridade aos seus argumentos.

Fanático é alguém que não muda de idéia e não muda de assunto. (Churchill)

3. Não se leve muito à sério. Ria de você mesmo.

Contraditório, Churchil metia pavor nos opositores do Parlamento, e o Rei George VI dele possuia muito receio. Fumava de mais, bebia em serviço, chingava palavrão e falava às vezes grosseiramente.

Tem uma cena emblemática em que ele sai na capa de um jornal fazendo o “V” ao contrário, que segundo conta-se era um tipo de palavrão na época, Churchill não sabia o significado quando o usou, mas ao saber o sentido real e escobrir porque as pessoas riam dele nafoto, ele deu boas risadas junto com elas


A imaginação consola os homens do que não podem ser; o sentido de humor consola-os do que são. (Churchill)

Como diz o ditado “se não pode com eles, Junte-se a eles”. Não se leve à sério de mais, pessoas humanas erram e um lider também pode errar, permita-se rir de si mesmo, esta é uma boa vávula de escape diante da pressão da liderança.

A foto histórica de Churchill fazendo o “V” invertido para os jornalistas

4. Assuma a responsabilidade diante ordens difíceis.

Diante de uma decisão dificil, a fim de salvar 300 mil soldados em Duquerk, uma guarnição é enviada a Calais, para servir de distração e praticamente ser dizimada diante das tropas alemãs, enquanto se pensava numa forma de evacuar os primeiros. De fato, uma decisão dura que ninguem gostaria de tomar e que lhe rendeu muitas críticas, mas ele não apenas autorizou como assumiu a responsabilidade do ato.

Um lider que não assume o que diz e faz não pode liderar.

A coragem é a primeira das qualidades humanas, porque é a qualidade que garante as demais (Curchill)

O ator Gary Oldman respresentando Winston Churchill

5. Ouça às ruas

As grandes ideias nascem do contato com as pessoas comuns, no dia a dia, no trabalho, nas ruas, no mercado; ou seja, no mundo real, as pessoas reais são as que mais podem contribuir para a solução de problemas e dilemas politicos. O líder que despreza o que as camadas populares pensam, ou querem “pensar” por elas dificilmente tomará decisões acertadas, pois sua visão está dissociada da realidade e apenas baseada em teorias.

Cena que retrata Churchill no Metrô conversando com os passageiros sobre uma possível rendição da Inglaterra.

Diante do dilema de assinar o tratado de paz, Churchill conclama o Paralmento a ressitir aos nazistas. Cinco anos depois, os aliados estavam vencendo a Segunda Guerra Mundial.

Anúncios

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.