Segundo um novo estudo de DNA recentemente publicado na Nature Communications por pesquisadores da Universidade de Tel Aviv (TAU)Há cerca de 6.500 anos, os humanos migraram da Turquia moderna e das montanhas Zagros do Irã para a região da Alta Galiléia, ajudando a introduzir mudanças culturais no Levante meridional durante o período de transição entre o Neolítico e a Idade do Bronze.  Este é um dos maiores estudos de DNA realizado no antigo Oriente Próximo, nele, os pesquisadores conduziram análises de genoma completo em 22 esqueletos da Caverna Peqi’in, no norte de Israel.

 

Em tal caverna, foram encontrados cerca de 600 indivíduos em cerca de 200 ossuários, Capturarbem como dezenas de bens sepultados.

Temos ali :  ossuários elaboradamente moldados, esculturas antropomórficas, elegantes bacias cerimoniais e uma estatueta de marfim. Tal achado tem sua relevância por refletir os estilos de várias subculturas diferentes na Palestina Calcolítica, onde se pensava existir em relativo isolamento entre si.

https://www.nature.com/articles/s41467-018-05649-9

 

 

 

Anúncios

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.